Os melhores filmes de Joaquim Phoenix


New feed

Uma maneira de se preparar para a chegada de Coringa em nossos cinemas é conhecer melhor a arte do ator que o protagoniza, Joaquin Phoenix. E uma maneira de conhecer melhor sua arte é passar pelos filmes em que ele trabalhou. 

Preparamos então uma lista com os 10 melhores filmes em que ele atua. Curiosamente, ela se divide em duas partes. Do décimo ao sexto lugar, filmes bons, mas não memoráveis. Na segunda parte, do quinto ao primeiro lugar, grandes filmes, e James Gray domina.

Coringa terá estofo para entrar nessa lista? Em que posição irá ficar?

10. Johnny & June (James Mangold, 2005)

Phoenix como Johnny Cash? Parecia improvável, mas até que funcionou.

09. Sinais (M. Night Shyamalan, 2002)

Um Shyamalan menor, protagonizado por Mel Gibson, que quase tem a estrela roubada por Phoenix.

08. Contos Proibidos do Marquês de Sade (Philip Kaufman, 2000)

Quem brilha mesmo é Kate Winslet, mas Phoenix faz o suficiente para ser notado.

07. Pela Vida de um Amigo (Joseph Ruben, 1998)

História bem levada, com direção hábil de Ruben.

06. O Homem Irracional (Woody Allen, 2015)

Um Allen menor. Phoenix parece desinteressado. Ainda assim, rende belos momentos.

05. Os Donos da Noite (James Gray, 2007)

São quatro grandes filmes do ator com o diretor James Gray (de Ad Astra). Este é o menos impressionante, vejam só.

04. Caminho Sem Volta (James Gray, 2000)

Belo drama familiar em que destino e más escolhas estão sempre juntos.

03. A Vila (M. Night Shyamalan, 2004)

Filme estranhíssimo e genial, com atuação adequada de Phoenix, ou seja, esquisitona.

02. Amantes (James Gray, 2008)

Os caminhos do amor são imprevisíveis e dolorosos. Filme inacreditável de tão tocante.

01. Era uma Vez em Nova York (James Gray, 2013)

Tradução possível para o original The Immigrant, o que poderia valer tanto para o personagem de Joaquin Phoenix quanto para a personagem de Marion Cotillard. Na necessidade de definição do artigo no português, optou-se por uma outra via, acertadamente. O filme? Uma obra-prima absoluta.